Região de fronteira terrestre Brasil-Argentina: uma contribuição ao debate sobre desenvolvimento regional

  • Rosa Almeida Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Desenvolvimento econômico; instituições; Free Shop de fronteira terrestre.

Resumo

O objetivo desse artigo é dar uma contribuição ao debate sobre desenvolvimento regional, a partir de um estudo de caso sobre a região da fronteira Brasil-Argentina. Para alcançar esse objetivo, recorre a referências bibliográficas que tratam desse assunto. Realiza-se pesquisa descritiva de abordagem qualitativa. A região de fronteira de Santa Catarina com a Argentina conta com 82 municípios e cerca de 900 mil habitantes. O governo do estado de Santa Catarina criou, seguindo determinação do governo federal, o Núcleo Estadual da Região da Faixa de Fronteira. As ações desenvolvidas até o momento estão voltadas em melhorar a infraestrutura fronteiriça, sistema de segurança, estrutura educacional, sistema de saúde, desenvolvimento do turismo e da agricultura. Citam-se algumas ações realizadas, como melhoria na alfandega para transito de pessoas e veículos, sistema de informações voltada à segurança, atendimento médico-hospitalar, implantação de sistema bilíngue na educação, cooperação técnica entre entidade de pesquisa e extensão agropecuária, entre outros.

Referências

AVELINE BERTÊ, A. M.; CARGNIN, A. P.; LEMOS, B.; OLIVEIRA, S. B. Dinâmicas territoriais e políticas públicas na faixa de fronteira do Estado do Rio Grande do Sul. Revista Estudos de Planejamento, 2017, 7.
BELLINGIERI, J. C. Teoria do desenvolvimento regional e local: uma revisão bibliográfica. RDE-Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 2, n. 37, 2017.
BOPPRÉ, N. F. Desenvolvimento: um novo foco para a região da Faixa de Fronteira Catarinense. In: CARIO, S. A. F. (org.) Características econômicas e sociais de Santa Catarina no limiar do século XXI. Criciúma, SC: UNESC, 2019, p. 262-284.
BOYER, R. Estado, mercado e desenvolvimento: uma nova síntese para o século XXI?. Economia e Sociedade, v. 8, n. 1, p. 1-20, 1999.
BRASIL. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL (MI). Proposta de reestruturação do Programa de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira. Brasília: MI, 2005.
BRASIL. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL (MI). Secretaria de Programas Regionais. Faixa de fronteira: programa de promoção do desenvolvimento da faixa de fronteira–PDFF. 2009.
BRASIL. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL (MI). Portaria 125, de 21 de março de 2014. Republicada em 26 de março de 2014. Brasília, março de 2014.
BRASIL. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL (MI). Portaria 213, de 19 de julho de 2016.
BRASIL. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Relatório de atividades da Comissão Permanente para o Desenvolvimento e a Integração da Faixa de Fronteira –2019-2020 Brasília, 2020.
BRASIL. MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Disponível em https://www.gov.br/mre/pt-br/assuntos/mecanismos-internacionais/mecanismos-de-integracao-regional/mercosul
vários acessos em jun de 2021.
BRESSER-PEREIRA, L. C. Estratégia nacional e desenvolvimento. Revista de Economia Política, v. 26, n. 2, p. 203-230, abril-junho 2006.
CARGNIN, A. P. Política nacional de desenvolvimento regional e repercussões no Rio Grande do Sul. Revista Mercator, Fortaleza, v. 13, n. 1, p. 19-35, jan/abr. 2014.
DIAS, T.; CARIO, S. A. F. A gestão descentralizada adotada em Santa Catarina, o engajamento social e suas unidades regionais: de governo para governança no despontar do século 21. Revista Catarinense de Economia, v. 1, n. 1, p. 183-210, 2017.
FALK, L. R. Políticas de fronteira no arco Sul do Brasil: desafios para a integração e o desenvolvimento regional. Encontro Estudantil Regional de Relações Internacionais, 2015.
FILIPPIM, E. S.; CETOLIN, S.F.; ISERN, P.; CASTRO, S. D. Cooperação transfronteiriça para o desenvolvimento regional. Desenvolvimento em Questão, 2014, 12.26: 5-40.
IGLESIAS, Enrique V. O papel do Estado e os paradigmas econômicos na América Latina. Revista de la CEPAL, 2010.
LIMA, A. C. C.; SIMÕES, R. F. Teorias clássicas do desenvolvimento regional e suas implicações de política econômica: o caso do Brasil. RDE-Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 12, n. 21, 2010.
LINS, H. N. Cooperação transfronteiriça e desenvolvimento local no âmbito do Mercosul: uma experiência de consórcio intermunicipal. Análise Econômica, 2018, 36.70.
OLIVEIRA, G. B.; LIMA, J. E. S. "Elementos endógenos do desenvolvimento regional: considerações sobre o papel da sociedade local no processo de desenvolvimento sustentável." Revista da FAE 6.2 (2003).
PÊGO, B.; MOURA, R.; NUNES, M. KRÜGER, C; MOREIRA, P.; FERREIRA, G. (Orgs.). Fronteiras do Brasil: uma avaliação do arco Sul. Rio de Janeiro: Ipea; MDR, 2020. v. 5. Disponível em:
https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=36432&catid=435&Itemid=448 Vários acessos em julho/2021.
PÊGO, B.; MOURA, R.; NUNES, M.; KRÜGER, C.; NAGAMINE, L.; FERREIRA, G; MOREIRAR, P. (Orgs.). Fronteiras do Brasil: referências para a formulação de políticas públicas, volume 6 – Brasília: Ipea, MI, 2021. Disponível em:
https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=38053&catid=449&Itemid=457 Vários acessos em julho/2021.
SANCHEZ, F. M. Redes de governança: um estudo multicasos no setor público em Santa Catarina. Tese (Doutorado em Administração), Programa de Pós-Graduação em Administração. Universidade Federal de Santa Catarina, 2018.
SERVIÇO BRASILERIO DE APOIO À MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE/SC) Santa Catarina em números: Dionísio Cerqueira/Sebrae/SC. _ Florianópolis: Sebrae/SC, 2013. 132p.
VÁZQUEZ BARQUERO, A. Desenvolvimento endógeno em tempos de globalização. Fundação de Economia e Estatística, 2001.
Publicado
2021-09-12