Subsídios para aquilatar a contribuição de Celso Furtado ao campo do desenvolvimento regional

  • Ivo Marcos Theis Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional/Universidade Regional de Blumenau
  • Krajevski Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Lasta Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), da Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Strelow Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), da Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Vargas Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), da Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Palavras-chave: Brasil; Celso Furtado; desenvolvimento regional.

Resumo

O objetivo do artigo é oferecer subsídios para dimensionar a contribuição de Celso Furtado à questão regional. Recorreu-se a algumas de suas obras representativas e estudos de outros autores que tratam da questão regional. Dentre os principais resultados estão que os desequilíbrios regionais em um país periférico, como o Brasil, tendem a se agravar na medida em que avançam as forças produtivas. Demonstrou que o território do país subdesenvolvido tende a se desarticular em regiões funcionais a uma inserção passiva da economia nacional, no sistema de divisão internacional do trabalho. A sua obra contribuiu para elucidar teórica e empiricamente a questão regional brasileira e apontar possibilidades concretas de sua superação.

Referências

ARAÚJO, T. B. “A ‘questão regional’ e a ‘questão nordestina’”. In: TAVARES, M. C. (Org.) Celso Furtado e o Brasil. São Paulo: Ed. Fund. Perseu Abramo, 2000, p. 71-92.
ARAÚJO, T. B.; SANTOS, V. M. “Desigualdades regionais e Nordeste em Formação Econômica do Brasil”. In: ARAUJO, T. P.; VIANNA, S. W.; MACAMBIRA, J. (Org.) 50 Anos de Formação Econômica do Brasil: ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: IPEA, 2009, p. 177-200.
BENKO, G. A ciência regional. Oeiras: Celta, 1999.
BRANDÃO, C.; GUIMARÃES NETO, L. A Formação Econômica do Brasil e a questão regional. In: COELHO, F. S.; GRANZIERA, R. G. (Org.) Celso Furtado e a Formação Econômica do Brasil: edição comemorativa dos 50 anos de publicação: 1959-2009. São Paulo: Atlas, 2009.
BRANDÃO, C. Desenvolvimento nacional, políticas regionais e o poder de decisão segundo Celso Furtado. Cadernos do Desenvolvimento, vol. 5, n. 7, p. 101-115, 2010.
BRANDÃO, C. “Prefácio”. In: D’AGUIAR, R. F. Essencial Celso Furtado. São Paulo: Companhia das Letras, 2013, p. 19-31.
CANO, W. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil, 1930-1995. 2 ed. Campinas/SP: Unicamp/IE, 1998.
CANO, W. Celso Furtado e a questão regional no Brasil. In: TAVARES, M. C. (Org.) Celso Furtado e o Brasil. São Paulo: Ed. Fund. Perseu Abramo, 2000, p. 93-120.
CANO, W. Ensaios sobre a formação econômica regional do Brasil. Campinas: Ed. UNICAMP, 2002.
D’AGUIAR, R. F. “Apresentação”. In: D’AGUIAR, R. F. Essencial Celso Furtado. São Paulo: Companhia das Letras, 2013, p. 7-18.
D’AGUIAR, R. F. Celso Furtado: diários intermitentes, 1937-2002. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.
DINIZ, C. C. Celso Furtado e o desenvolvimento regional. In: Revista Nova Economia, vol. 19, n. 2, 2009, p. 227-249.
FURTADO, C. Intra-country discontinuities: toward a theory of spatial structures. Social Science Information, vol. 6, n. 6, p. 7-16, 1967.
FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. 15 ed. São Paulo: Nacional, 1977.
FURTADO, C. Perspectivas da economia brasileira. Rio de Janeiro: Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, 2012 [1958].
GUIMARÃES NETO, L. “Itinerário de Celso Furtado até Formação Econômica do Brasil”. In: ARAÚJO, T. P.; WERNECK VIANNA, S. T.; MACAMBIRA, J. (Org.) 50 anos de Formação Econômica do Brasil: ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: Ipea, 2009, p. 247 – 270.
ISSERMAN, A. “Regional science”. In: SMELSER, Neil J.; BALTES, Paul B. (Org.) International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences. Oxford: Elsevier, 2001, p. 12.930-12.935.
OLIVEIRA, F. Elegia para uma re(li)gião: Sudene, Nordeste, planejamento e conflito de classes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977
OLIVEIRA, F. “A navegação venturosa”. In: OLIVEIRA, Francisco de (Org.) Celso Furtado: economia. São Paulo: Ática, 1983, p. 7-27.
OLIVEIRA, F. A questão regional: a hegemonia inacabada. Estudos Avançados. vol. 7, n. 18, p. 43-63, 1993.
PADIS, P. C. Formação de uma economia periférica: o caso do Paraná. São Paulo: Hucitec, 1981.
SOUSA, C. M.; THEIS, I. M.; ALBINO B., J. L. (Org.) Celso Furtado: a esperança militante (vol. 1, Interpretações). Campina Grande: EDUEPB, 2020a.
SOUSA, C. M.; THEIS, I. M.; ALBINO B., J. L. (Org.) Celso Furtado: a esperança militante (vol. 2, Depoimentos). Campina Grande: EDUEPB, 2020b.
SOUSA, C. M.; THEIS, I. M.; ALBINO B., J. L. (Org.) Celso Furtado: a esperança militante (vol. 3, Desafios). Campina Grande: EDUEPB, 2020c.
THEIS, I. M. O que é desenvolvimento regional? Uma aproximação a partir da realidade brasileira. Redes, vol. 24, n. 3, p. 334-360, 2019.
THEIS, I. M.; BUTZKE, L. Desarrollo regional desigual e inserción internacional subordinada: el caso de Brasil. DAAPGE, vol. 19, n. 33, p. 31-50, 2019.
Publicado
2020-12-14