A teoria da dependência nas perspectivas de Celso Furtado, Fernando Henrique Cardoso e Ruy Mauro Marini

  • Eduardo Sigaúque Universidade Federal de Minas Gerais
  • Silvio Cário Universidade Federal de Santa Catarina
  • Márcio Gasperini Gomes Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Subdesenvolvimento; Dependência; Celso Furtado; Fernando Henrique Cardoso; Ruy Mauro Marini

Resumo

O objetivo desse artigo é discutir a teoria da dependência sob as abordagens dos autores brasileiro Celso Furtado, Fernando Henrique Cardoso e Ruy Mauro Marini. Esta concepção teórica insere-se na discussão do subdesenvolvimento que marca as economias periféricas em geral, e a brasileira em particular. Em termos metodológicos, recorreu-se a abordagem analítica a partir das obras desses autores. Enfatizou-se a dependência cultural em Furtado, em face do desenvolvimento ocorrer atrelado aos valores e ideologias do centro capitalista desenvolvido. Na concepção de Cardoso, a dependência assume natureza política, expressa pelos vínculos políticos que amarram interesses econômicos nacionais aos estrangeiros. Enquanto, para Marini, a dependência é econômica enquanto instrumento de dominação e exploração dos países capitalistas imperialistas sobre as economias periféricas.

Referências

ALBUQUERQUE, E. M. A. Celso Furtado, a polaridade modernização-marginalização e uma agenda para a construção dos sistemas de inovação e de bem estar social. In.: SABOIA, J.; CARVALHO, F. J. (org.) Celso Furtado e o século XXI. Barueri, SP: Manole; Rio de Janeiro: Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007, p. 181- 204.
ALMEIDA, J. E. Subdesenvolvimento e dependência: uma análise comparada de Celso Furtado e Fernando Henrique Cardoso. 205 fl. Tese (Doutorado em Economia), Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009.
AREND, M.; FAGOTTI, V. Z.; MOREIRA, A. G. Cultura e histerese institucional: a dependência furtdiana como uma instituição histórica. Revista Nova Economia, v. 29, n. especial, p. 1305 – 1330, 2019.
BRANDÃO, C. Celso Furtado: subdesenvolvimento, dependência, cultura e criatividade. Revista de Economia Política de las Tecnologias de la Información y de la Comunicaión. Vol. XIV, n. 1, ene-abr, 2012, 11 p.
CAETANO, J. E. B.; MISSIO, F. J. Notas sobre o papel da cultura no desenvolvimento de Celso Furtado. Texto de Economia, v. 20, n. 1, p. 19-35, 2017.
CARDOSO, F. H. Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1964.
CARDOSO, F. H. Mudanças sociais na América Latina. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1969.
CARDOSO, F. H. As idéias e seu lugar: ensaios sobre as teorias do desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1993.
CARDOSO, F. H.; FALETTO, E. Dependência e desenvolvimento na América Latina: Ensaio de interpretação sociológica. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.
CARDOSO, F. H.; IANNI, O. “As exigências educacionais do processo de desenvolvimento”. Revista Brasiliense, nº 26, São Paulo, nov.- dez. 1959.
FIORI, J. L. De volta à questão da riqueza de algumas nações. FIORI, J. L. (org.) Estado e moeda no desenvolvimento das nações. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 11-46.
FURTADO, C. Um projeto para o Brasil. Rio de Janeiro: Editora Saga, 1968.
FURTADO, C. Dependência externa y teoria econômica. El Trimestre Económico. Vol. XXXVIII, no. 150. México, abr-jun, p. 23 – 37, 1971.
FURTADO, C. Análise do modelo brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.
FURTADO, C. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.
FURTADO, C. Pequena introdução ao desenvolvimento: enfoque interdisciplinar. São Paulo: Editora Nacional, 1980.
FURTADO, C. Teoria e política do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1983.
FURTADO, C. Cultura e desenvolvimetno em época de crise. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.
FURTADO, C. O subdesenvolvimento revisitado. Economia e Sociedade, 1(1), 5-19. agosto de 1992.
FURTADO, C. O capitalismo global. Rio de Janeiroi: Paz e Terra, 1998.
FURTADO, C. O longo amanhecer: reflexões sobre a formação do Brasil. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999
FURTADO, C. Estão liquidando a soberania nacional. In: BENJAMIN, C.; ELIAS, L. A. (orgs.) Brasil: crise e destino – entrevistas com pensadores contemporâneos. São Paulo: Expressão Popular. 2000. p. 15 – 20.
IPIRANGA, H. A.; AREND, M. Fundamentos microdinâmicos do subdesenvolvimento: aportes evolucionários à teoria da dependência de Celso Furtado. Textos de Economia, v. 23, n. 2, p. 1-23, dez; mar, 2020.
LINS, L. C. O. Desenvolvimento social: o projeto de Celso Furtado para a nação brasileira. 149 fl. (Dissertação de Economia), Programa de Pós-Graduação em Economia e Desenvolvimento. Universidade Federal de Santa Maria, 2013.
LUCE, M. S. A economia política do sub-imperialismo em Ruy Mauro Marini: uma história conceitual. Anais… XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, julho 2011a.
LUCE, M. S. A teoria do subimperialismo em Ruy Mauro Marini: contradições do capitalismo dependente e a questão do padrão de reprodução do capital. A História de uma categoria. 225 fl. Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2011b.
MARINI, R. M. Subdesarrollo y revolución, Ed. Siglo XXI, México D.F., 1969.
MARINI, R. M. Dialéctica de la dependencia: la economía exportadora, em Tres ensayos sobre América Latina, Ed. Anagrama, Barcelona, 1973 [1972].
MARINI, R. M. América Latina - dependência e integração, São Paulo, Página Aberta, 1992.
MARINI, R. M. Dialética da dependência. Petrópolis: Vozes, 2000.
MARTINS. C. E. Mauro Marini e sua atualidade: reflexões para o século XXI. Crítica Marxista, n.32, p.127-146, 2011.
MARTINS, L. Industrialização, burguesia nacional e desenvolvimento – introdução a crise brasileira. Rio de Janeiro: Saga, 1968.
MELO, J. M. Capitalismo tardio. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1983.
PACHECO, A. P. C.; BENINI, E. G. A economia criativa em época de crise: o desenvolvimento endógeno brasileiro na obra de Celso Furtado. Revista de Economia Política. Vol. 38, no. 2 (151), pp. 324-337, abril-junho, 2018.
PRADO, F. C. História de um não-debate: a trajetória da teoria marxista da dependência no Brasil. Comunicação & Política, v. 29, n. 2, p. 68-94, 2010.
PRADO, F. C. A ideologia do desenvolvimento e a controvérsia da dependência no Brasil contemporâneo. Tese (Doutorado em Política Internacional). Programa de Pós-Graduação em Economia Política Internacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.
SAMPAIO JR., P. A. O impasse da formação nacional. In: FIORI, J. L. (org.). In: Estados e moedas no desenvolvimento das nações. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1999, p. 415-448.
SANTOS, T. Teoria da dependência: balanço e perspectivas. Editora Insular. Volume 1, Florianópolis, 2015.
SIGAÚQUE, E. S. Capitalismo africano dependente: estudo histórico-estrutural da economia moçambicana entre o período de 1985-2015. 2017. 231 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.
SUZIGAN, W. Indústria brasileira – origem e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1986.
TAVARES, M. C. Da substituição de importações ao capitalism financeiro – ensaios sobre economia brasileira. 6a. ed. Rio de Janeiro: Zahar Ed. 1977.
VILAÇA, A.; CONCEIÇÃO, O. A. Dinâmica do desenvolvimento periférico latino-americano: uma conformação institucional. Anais...XIX Encontro de Economia da Região Sul da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Economia. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina, 2016. 16 p.
Publicado
2020-12-13