Recursos e capacidades de trabalho associados à renda de estabelecimentos agropecuários de produtores de tabaco do Sul do Brasil

  • Luis Augusto Araujo Epagri
  • Marcelo Alexandre de Sá EPAGRI/CEPA
  • Marcia Mondardo
Palavras-chave: capacidades de trabalho; recursos; renda

Resumo

O artigo tem como objetivo compreender como os agricultores avaliam o trabalho em estabelecimentos agropecuários produtores de tabaco no Sul do Brasil, a partir da associação dos recursos e das capacidades de trabalho percebidas à renda dos anos agrícolas 2014/15 a 2017/18. É um estudo com agricultores, de abordagem de método misto, mediante aplicação de questionário, da técnica de grupo focal e de acesso a relatórios contábeis. A interpretação do material coletado seguiu os ensinamentos da estatística descritiva, da análise de correlação e de análise de conteúdo, tendo por referência a Visão Baseada em Recursos (VBR). Os resultados revelam associação positiva entre a renda e os recursos tecnológicos (máquinas, equipamentos e construções), bem como à área do estabelecimento agropecuário (agrícola explorada e total). Em contrapartida, os resultados não apontam associação à renda da disponibilidade de trabalho familiar e contratado e dos recursos humanos (idade do agricultor e grau de instrução).

Referências

ALVES, E.; ROCHA, D. P. Ganhar tempo é possível? In: GASQUES, J. G., VIEIRA
FILHO, J. E. R.; NAVARRO, Z. (Orgs.). A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas. Brasília: Ipea, 2010, cap. 11, p. 275-290.
ALVES, E.; SOUZA, G. S.; ROCHA, D. P. Lucratividade na agricultura. Revista de Política Agrícola, v. 21, n. 2, p. 45-63, 2012.
ARAUJO, L. A. Indicadores técnicos e econômicos para a gestão de propriedades rurais produtoras de fumo em Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 63 p., 2009. (Epagri Documentos 233).
ARAUJO, L. A.; GIEHL, A. L; FELICIANO, A. M.; RODRIGUES, C.; GRADE, M. Agronegócios familiares do Sul do Brasil: percepções do agricultor sobre o seu ambiente. Florianópolis, SC: EPAGRI 2017. 60 p. (Boletim técnico, 181).
ARAUJO, L. A.; TORESAN, L. Urbanização e envelhecimento da população na perspectiva de agricultores familiares do Sul do Brasil. In: XII Encontro de Economia Catarinense _ APEC. Lages – SC, 2018. Anais...Lage – SC: APEC, 2018. Disponível em: http://apec.pro.br/anais-dos-eventos/xii-encontro-de-economia-catarinense/ Acesso em: 08 mar. 2019.
AUSTIN, J.; SEITANIDI, M. Value creation in business – Nonprofit collaborations. Social Enterprise Series, Harvard Business School Working Paper, 33, 2011. Disponível em: http://www.hbs.edu/re- search/pdf/12-019.pdf Acesso em: fev., 2019.
BALESTRIN, A.; VERSCHOORE, J. Redes de Cooperação Empresarial: estratégias de gestão na nova economia. Bookman Editora, 2016.
BARBOSA, R. A.; MACHADO, A. G. C. Estratégias de inovação sob a perspectiva da Visão Baseada em Recursos: um estudo na Embrapa. Gestão & Regionalidade (Online), v. 29, n. 87, 2013.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.
BARNEY, J. B.; CLARK, D. N. Resource-based theory: Creating and sustaining competitive advantage. Oxford University Press on Demand, 2007.
BARNEY, J. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of management, v.17, n.1, p. 99-120, mar. 1991.
BARNEY, J. B.; ARIKAN, A. M. The resource-based view: origins and implication. In: HITT, M. A. et al. (Ed.) The blackwell handbook of strategic management. Oxford: Blackwell, 2001.
BERNARDINO, S.; SANTOS, J.F. A Relevância da gestão de recursos para o desempenho - aplicação da teoria baseada nos recursos ao empreendedorismo social em Portugal. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, nº 50, 2018. Disponível em: Acesso em: 22 fev. 2019.
BIRKINSHAW, J.; MARK, K. 25 ferramentas de gestão: um guia sobre os conceitos mais importantes ensinados nos melhores MBAs do mundo. São Paulo: HSM, 2017. 200 p.
BOEHLJE, Michael. Structural changes in the agricultural industries: how do we measure, analyze and understand them? American Journal of Agricultural Economics,v. 81, n.5, p.1028-1041, 1999.
BRANCO, M. C.; RODRIGUES, L. L. Corporate social responsibility and resource-based perspectives. Journal of Business Ethics, v.69, n. 2, p.111-132, 2006.
BUAINAIN A.M.; DEDECA, C.S. Introdução: emprego e trabalho na agricultura brasileira. In: BUAINAIN A.M., DEDECA, C. S. (Org.) Emprego e trabalho na agricultura brasileira. Brasília, DF: IICA, 2008. (Série Desenvolvimento Rural Sustentável, 9).
BURLAMAQUI, L.; PROENÇA, A. Inovação, Recursos e Comprometimento: Em direção a uma teoria estratégica da firma. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 79-110, ago. 2009. ISSN 2178-2822. Disponível em: Acesso em: 20 fev. 2019. doi: https://doi.org/10.20396/rbi.v2i1.8648869.
CARVALHO, D. M.; PRÉVOT, F.; MACHADO, J. A. D. O uso da teoria da visão baseada em recursos em propriedades rurais: uma revisão sistemática da literatura. Revista de Administração, 49(3), 506-518, 2014.
CRESWELL, J.W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.
FERREIRA, M. P.; SERRA, F.A.R.; PEREIRA, M. F. Estratégia em diferentes contextos empresariais: fundamentos, modelos e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2010.
GARCIA, J., Trabalho rural: tendências em face das transformações em curso. In: BUAINAIN, AM; ALVES. E.; SILVEIRA, JM; NAVARRO, Z. (Org.) O mundo rural no Brasil do século 21. Brasília, DF: Embrapa, 2014. p.559-590.
GASQUES, J. G.; BASTOS, E. T.; VALDES, C.; BACCHI, M. R. P. Total fator productivity in Brazilian agriculture. In: FUGLIE, K. O.; WANG, S. L.; BALL, V. E. (Orgs.). Productivity growth in agriculture: an international perspective. Oxfordshire: CAB International, 2012, cap. 7 p. 145-162.
GRANT, R. M. "The resource-based theory of competitive advantage: implications for strategy formulation." California management review, v. 33, n.3, p.114-135, 1991.
HAIR J.; BABIN B.; MONEY A.; SAMOUEL P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Bookman Companhia Ed; 2005.
HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica. Tradução da 7ª edição norte-americana. São Paulo: Cengane Learning, 2008.
MAIA, A. G.; SAKAMOTO, C. S. A nova configuração do mercado de trabalho agrícola brasileiro. In: BUAINAIN, AM; ALVES. E.; SILVEIRA, JM; NAVARRO, Z. (Org.) O mundo rural no Brasil do século 21, Brasília, DF: Embrapa, 2014. p. 591-619.
MANASSERO, M., GARCÍA, E.; TORRENS, G.; RAMIS, C.; VÁZQUEZ, A.; FERRER, Y V. Teacher burnout: atributional aspects. Psichology in Spain, v. 10, n.1, p. 66-74, 2006. Disponível em: psychologyinspain.com/content/full/2006/full.asp?id=10007 Acesso em: 18 jan. 2018.
MCKELVIE, A.; DAVIDSSON, P. From resource base to dynamic capabilities: An investigation of new firms. British Journal of Management, 20 (1), 63-75, 2009.
MEYSKENS, M.; ROBB-POST, C.; STAMP, J.; CARSRUD, A.; e REYNOLDS, P. Social ventures from a resource-based perspective: an exploratory study assessing global Ashoka fellows. Entrepreneurship: Theory and Practice, 34 (4), 661-680, 2010.
MIELE, M.; DE MIRANDA, C. R. O desenvolvimento da agroindústria brasileira de carnes e as opções estratégicas dos pequenos produtores de suínos do Oeste catarinense no início do Século XXI. In: CAMPOS, S. K.; NAVARRO, Z. A pequena produção rural e as tendências do desenvolvimento agrário brasileiro: ganhar tempo é possível? Brasília, DF: CGEE. Embrapa Suínos e Aves, 2013.
MINTZBERG, H. Managing: desvendando o dia a dia da gestão. Porto Alegre: Bookman, 2010.
MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL J. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman Editora, 2010.
MOLLOY, J.; CHADWICK, C.; PLOYHART, R.; GOLDEN, S. Making intangibles “tangible” in tests of resource-based theory: A multi- disciplinary construct validation approach. Journal of Management, 37 (5), 1496-1518, 2011.
NAVARRO, Z. S. de. O mundo rural no novo século (um ensaio de interpretação). In: VIEIRA FILHO, J. E. R.; GASQUES, J. G.; CARVALHO, A. X. Y. (Org.) Agricultura, transformação produtiva e sustentabilidade. Brasília, DF: Ipea, 2016, p.25-63. Disponível em: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/145922/1/160725-agricultura-transformacao-produtiva-cap-01.pdf Acesso em: 5 mar. 2018.
PENROSE, E.T. The theory of the growth of the firm. New York: Wiley, 1959.
PETERAF, M. A. The cornerstones of competitive advantage: a resource-based view. Strategic Management. Journal, v.14, n.3, p.179-191, 1993. DOI: 10.1002/smj.4250140303
RICARDO, D. On the principles of political economy and taxation. V.1 of The Worksand Correspondence of David Ricardo, edited by P. Safra en collaboration with M. H. Dobb. Cambridge: Cambridge Uninersity Press, 1817.
RUMELT, R.; SCHENDEL, D.; TEECE, D. Strategic management and economics. Strategic Management Journal, 12, 5-29, 1991.
SILVA, A.H. Rituais corporativos como estratégia de legitimação dos valores organizacionais em empresas familiares. 2012. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/4601 Acesso em: 26 fev. 2018.
STEFFENS, P.; DAVIDSSON, P.; e FITZSIMMONS, J. Performance configurations over time: Implications for growth and profit‐oriented strategies. Entrepreneurship: Theory and Practice, 33 (1), 125-148, 2009.
VIEIRA FILHO, J. E. R. Agricultura e indústria no Brasil: inovação e competitividade. Brasília: Ipea, 2017. 305 p.
VILLAZON-MONTALVAN, R. A.; ARAUJO, L. A.; GIEHL, A. L.; FELICIANO, A. M. Conception of managing practices as key factor to achieve rural development and sustainability in southern Brazil. European Journal of Sustainable Development, v. 6, Issue 4, Roma – Italia: di EJSD, 2017.
WERNERFELT, B. The resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v.5, n.2, p. 171-180, 1984. DOI: 10.1002/smj.4250050207
Publicado
2020-08-25