Expectativas dos agentes e efeitos das políticas monetárias e fiscais críveis nos índices setoriais da bolsa de valores brasileira

  • Daniel Augusto de Souza Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Adriano de Amarante Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Fernando Pozzobon Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Patrícia Silva Felini Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Credibilidade, Política monetária, Política fiscal, Índices setoriais

Resumo

Um ambiente de estabilidade macroeconômica é crucial para a determinação de um nível ótimo de consumo e investimento e, também, para alocações de recursos econômicos e financeiros por parte dos agentes econômicos como consequência de uma boa previsão quanto às condições futuras da economia. Este artigo buscou analisar para o Brasil em que medida as políticas econômicas críveis afetam os seguintes índices setoriais do Ibovespa: Índice Industrial (INDX), Índices de Empresas de Energia (IEE), Índice do Consumo (ICON) e Índice Financeiro (IFNC). Neste estudo testa-se a hipótese de que a credibilidade da política fiscal e da política monetária afetam os índices setoriais da Brasil, Bolsa, Balcão (B3) e seus retornos. Por meio de uma análise de cointegração e com o método do Mecanismo de Correção de Erros (MCE), os resultados mostraram que a credibilidade da política monetária e a credibilidade da política fiscal não são cointegrados aos índices para o período compreendido entre 2002 a 2016. Por outro lado, as variações do Ibovespa afetaram o IFNC e as regressões entre os retornos e os índices de credibilidade apontaram significância estatística dos efeitos da credibilidade de política monetária sobre as taxas de retorno dos índices.

Publicado
2018-01-01
Seção
Artigos